terça-feira, 26 de junho de 2012

A poesia é uma pulga


A poesia é uma pulga,

coça, coça, me chateia,

entrou por dentro da meia,

saiu por fora da orelha,

faz zumbido de abelha,

mexe, mexe, não se cansa,

nas palavras se balança,

fala, fala, não se cala

a poesia é uma pulga,

de pular não tem receio,

adora pular na escola...

só na hora do recreio!

Sylvia Orthof

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...