quinta-feira, 30 de março de 2017

12 lições que aprendemos com a história do Principezinho de Antoine de Saint-Exupéry



Mais de meio século depois, a fábula de Antoine de Saint-Exupéry não perdeu nenhuma da sua força. É, na verdade, de alcance intemporal e, a cada nova leitura e em qualquer idade, ensina-nos sempre algo novo.

Destacamos 12 lições que aprendemos com a história do Principezinho:

#1 "Todas as pessoas crescidas já foram crianças. (Há é poucas que se lembrem.)"
#2 "Só as crianças sabem do que andam à procura."
#3 "O essencial é invisível para os olhos."
#4 "Sempre a direito não se vai lá muito longe."
#5 "Quando se está muito, muito triste, é bom ver o pôr-do-sol."
#6 "As pessoas crescidas gostam de números. Quando lhes falam de um amigo novo, nunca perguntam nada de essencial. Nunca perguntam: «Como é a voz dele? A que é que ele gosta mais de brincar? Faz coleção de borboletas?» Em vez disso, perguntam: «Que idade tem? Quantos irmãos tem? Quanto é que ele pesa? Quanto ganha o pai dele?» Só então julgam ficar a saber quem é o vosso amigo."
#7 "De manhã, quando nos levantamos, lavamo-nos e arranjamo-nos, não é? Pois lá também é preciso ir limpar e arranjar o planeta."
#8 "Quando nos deixamos cativar, é certo e sabido que algum dia alguma coisa nos há-de fazer chorar."
#9 "Os vaidosos só ouvem os elogios."
#10 "É tão misterioso o país das lágrimas!"
#11 "Se vieres às quatro horas, às três, já eu começo a estar feliz. E quanto mais perto for da hora, mais feliz me sinto. Às quatro em ponto hei-de estar toda agitada e toda inquieta: fico a conhecer o preço da felicidade!";
#12 "Foi o tempo que tu perdeste com a tua rosa que tornou a tua rosa tão importante."


Fonte: www.wook.pt/wookacontece/


Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...