quinta-feira, 18 de maio de 2017

Era uma vez um rei muito chato...até que aparece um gato...




"Havia um rei muito chato. Fazia sempre tudo da mesma maneira. “Convém avisar que um rei pode ser lei. (É só trocar o R pelo L.)”, escreve-se logo no início.

Segue-se a descrição de algumas rotinas de el-rei Dom Chato. “Calçava sempre a bota direita antes de calçar a esquerda. Penteava-se sempre à mesma hora, sempre com o risco para o mesmo lado. Escutava sempre a mesma sonata triste no piano. E nunca, nunca fazia as coisas de modo diferente.”

Hum! "Aqui há gato"!

É este o nome de um livro que nasceu de uma forma pouco convencional.

Primeiro foram criadas as ilustrações e só depois o texto. Autor e ilustradora vieram ao estúdio do PÚBLICO ler-nos esta história e assim aumentar a nossa galeria de Livros para Escutar.

“Quis transformar uma coisa monótona, os códigos de barras, em imagens criativas”, contou ao PÚBLICO a ilustradora brasileira Renata Bueno.



Criou então uma série de ilustrações (sempre com códigos de barras), juntou-lhe pequenos poemas e mostrou tudo à editora Orfeu Negro na Feira do Livro Infantil de Bolonha.

A editora gostou das imagens e sugeriu que se criasse uma narrativa à volta delas. Chamou Rui Lopes, tradutor de muitos títulos da Orfeu Mini, que assim se estreou como autor. E bem.

“Pensei na monotonia e criei uma personagem chata”, recorda Rui Lopes. 

No entanto, o rei há-de ser convencido a aceitar a mudança.

“Um dia, a Dona Cristina, farta de tanta rotina, disse: ‘Basta.’ E tal bastou para que as pessoas, os animais e as outras coisas que tais, cansados de tanta, tanta repetição, fizessem uma revolução.” E ainda bem.

“O rato fez-se valentão e rugiu para o leão”, “o foguetão parou no meio do voo e ali se deixou ficar, desafiando a gravidade, só para experimentar”, mas houve muitas outras mudanças que espantaram o rei.

“Aqui há gato!”, era o que ele dizia sempre que alguma coisa não acontecia à sua maneira. Até que o gato Silvestre lhe explicou em língua de gente: “Onde há gato há curiosidade, majestade, e é assim que tudo pode ser diferente.”

Um livro bem-humorado e de fácil leitura textual e visual. Na imagem das páginas centrais do álbum, os códigos de barras remetem para outros livros. Quem conseguir um leitor destas “risquinhas” poderá identificá-los.

Quanto ao Dom Chato, aprendeu alguma coisa com a revolução. Tirou a coroa e anda apanhar banhos de sol com a rainha.


Texto: Rita Pimenta
Vídeo: Frederico Batista

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Aproxima-se o XV Encontro de Literatura Infantojuvenil Caminhos de Leitura em Pombal


A Câmara Municipal de Pombal promove, no dia 27 de maio e de 9 a 11 de junho, o XV Encontro de Literatura Infantojuvenil Caminhos de Leitura, no Teatro-Cine e na Biblioteca Municipal de Pombal.

O programa inclui Oficinas, Exposições, Encontros, Debates e outras atividades.
Haverá lugar ainda para uma Feira do Livro Infantojuvenil com a participação das Livrarias Arquivo, Gatafunho e Gigões e Anantes.

Assim nos dias 27 de maio, 08, 09 e 10 de junho de 2017:

Apeadeiro do Encontro - Encontro de Literatura Infantojuvenil / formação creditada (27 de maio, 08, 09 e 10 de junho)
Apeadeiro da Ilustração - Exposições de ilustração (08 a 10 de junho)
Apeadeiro da Leitura - Mercado infantil do livro e da leitura (08 a 10 de junho)
Apeadeiro da Memória - Festival de Narração Oral (08, 09 de junho)

Veja AQUI o programa.
Faça AQUI a sua inscrição.


terça-feira, 18 de abril de 2017

"Cinderella and the Furry Slippers": a minha resenha de uma versão muito divertida do conto tradicional

:)

"Cinderella and the Furry Slippers", de  , com ilustrações de , foi-me cedido pela Netgalley e pelo editor,  para que eu fizesse uma apreciação honesta deste livro. Não há de momento edição em português. O lançamento da versão original em inglês só está prevista para 10 de Outubro deste ano.
Publiquei a minha opinião no Goodreads com 4/5 estrelas e a seguinte "review":


"Cinderella and the Furry Slippers" is a modern version of the traditional tale. This poor girl, with the bad stepmother and the awful sisters, dreams with the prince she sees in the magazines. When a ball is announced, she makes a call for a godmother and asks her for a dress as she has seen in a fashion magazine…from now on nothing in this book is as we come to expect (not even the slippers!).
In the end, Cinderella runs from the disgusting prince and finds a job fair where she discovers new life perspectives. She finally feels empowered and independent, a princess of today to inspire nowadays girls.
The illustrations complement well the text: they are both great fun! This is a short tale for children who have a sense of humor and like to be surprised.
I was provided with an arc of this book by Netgalley and the publisher, so I could give an honest review.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...